domingo, 14 de julho de 2013

Fala comigo?

- E, aí? O que anda fazendo de bom?
Essa é uma pergunta que, se estivéssemos em meio a um coito, me faria brochar na hora. 
Pessoa bacana, papo legal, diz coisas relativamente interessantes... mas quando solta o "o que anda fazendo de bom" faz com que se quebre todo o encanto.

A vontade é responder: não estou fazendo nada de bom! Nada! A-b-s-o-l-u-t-a-m-e-n-t-e nada! Tudo que faço é ruim, algumas coisas são perversas e outras são extremamente desagradáveis. Não faço nada de bom há anos. Não ajudo pessoas a atravessar a rua. Não salvo gatinhos na copa de árvores. Não dou bom dia ao vizinho. Minha vida é um ciclo de maldades.

Poderia também dar outra possível resposta para essas pessoas que só querem saber o que fazemos de bom na nossa vida, sem sequer se interessar pelas coisas banais, pelo trivial, pelo dia a dia nosso de cada dia. Tipo, estou fazendo muuuuitas coisas boas. Minha vida é repleta de aventuras e emoções. Ontem desci as Cataratas do Niágara, semana passada fiz rapel na Torre Eiffel, amanhã vou capturar uns leões na África. 

A minha indignação vem do fato de uma pessoa perguntar a uma pobre mãe-bancária quais são as novidades, o que está acontecendo de "bom" na minha vida. Na minha vida não acontece nada. Nada que mereça relevância. A menos que essa pessoa esteja disposta a ouvir relatos interessantíssimos de proezas do meu filho (e eu sei que pra quem não tem filhos, chega uma hora o assunto fica chato) ou a rotina de análises de documentos bancários.

Não digo que não devam conversar comigo, nobres amigos, só não joguem na minha cara que a vida que levo não é exatamente um poço de emoções. Eu sou comum e, portanto, levo uma vida comum. Perguntem como eu estou e ouvirão "ótima", pergunte como está a vida e eu direi "tudo do mesmo jeito", pergunte o que estou fazendo e ouvirão "as mesmas coisas de sempre". Diálogos modernos, enfim.

Agora, só pra variar um pouquinho, podiam perguntar também a minha opinião sobre assuntos polêmicos, ou sugestões para os problemas do Brasil, ou sobre a busca incessante pela felicidade e completa realização e transcendência do Ser. Ao menos evitaria uma brochada!

Um comentário:

  1. Qualquer coincidência é mera semelhança, Rosa!!

    http://www.aredacao.com.br/colunas/29519/cassia-fernandes/e-ai-novidades

    ResponderExcluir