quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Pedro e o Português

-Mamãe, olha, um parquinho!!
-Nossa, filho, é mesmo!
-Amanhã você me traz aqui pra mim brincar?
-Trago, filho. Mas não é pra mim brincar, é pra eu brincar.
-É você que vai brincar?!?
-Não, filho. A mamãe tá te ensinando o jeito certo de falar. O certo é pra eu brincar. Fala: pra eu brincar.
-Pra eu brincar.
-Isso, meu amor!
-Então eu posso brincar também, né, junto com você?
Vai tentar ensinar português pra um menino de três anos, vai!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Serventia da casa

Me demito.
Sim, estou pedindo demissão.
Não. Não vou me arrepender.
Demito-me (como reza o bom português) das coisas inúteis,
dos amigos rasos,
dos programas bobos,
do ócio improdutivo,
das pessoas chatas,
daqueles que me querem mal,
dos sentimentos atordoados,
do descontrole - em todas as suas variáveis.
Despeço-me sem choro
da preguiça,
da indelicadeza,
da soberba.

Quem me dera se fosse assim...

Eu Não Sou da Sua Rua (Marisa Monte)

Eu não sou da sua rua,
Não sou o seu vizinho.
Eu moro muito longe, sozinho.
Estou aqui de passagem.
Eu não sou da sua rua,
Eu não falo a sua língua,
Minha vida é diferente da sua.
Estou aqui de passagem.
Esse mundo não é
Meu, esse mundo não é seu