segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Valer a pena

Para começar a escrever esse texto eu pensei em fazer uma analogia com a fênix, que majestosamente renasce das cinzas e tem aquele tom apoteótico. Mas achei piegas demais. Depois pensei em retornar num tom meio descolado, de quem acabou de chegar de férias (maravilhosas) em Porto de Galinhas - ô lugarzinho bom, gente! Com um sotaque meio pernambuquês, num ritmo arrastado e descontraído. Entretanto, iria ficar meio forçado. Daí resolvi escrever hoje, que me encontro especialmente feliz. A troco de quê, dona Ana Paula Rosa, a senhora se permite estar feliz? Bem, percebi hoje cedinho que eu respiro (e durante o mergulho aprendi que devemos dar muito, mas muito valor ao oxigênio), não tenho unha encravada para me atrapalhar a calçar o tênis, não uso dentadura, posso tomar leite sem sentir qualquer desconforto intestinal, não preciso andar de transporte público coletivo e, de quebra, ainda tenho um emprego. É curioso isso, não? Ficamos tão entretidos em reclamar do que não temos que esquecemos de agradecer por aquilo que temos. Mas o motivo da minha particular felicidade é que recebi flores no trabalho hoje. Não é por ser meu aniversário, ou comemoração de alguma data especial, ou reconciliação, ou por ser o Dia das Bruxas (como podem pensar os mais engraçadinhos). Simplesmente meu namorado quis me agradar e demonstrar seu amor por mim. E-que-mulher-não-se-sentiria-feliz-com-isso? É a mesma sensação maravilhosa de acordar para escovar os dentes e encontrar os dizeres EU TE AMO escritos no espelho. Você olha aquela frase, olha a sua imagem, pensa no seu amor, torna a olhar a frase, a sua imagem e conclui: a vida vale muito a pena! Uau!

sábado, 8 de outubro de 2011

Carta aos leitores de lorotas

Caros leitores, como bem sabem esse blog é para mim um momento de descontração e prazer. Contudo, ultimamente tem sido motivo de alguns aborrecimentos (desmerecidos, obviamente). Portanto, me ausentarei por alguns dias num período sabático de renovação de forças e novas inspirações. Entretanto, devo frisar que foi maravilhoso esse período que escrevi para vocês e reconheço que merecem o melhor de mim.

Grande abraço! E até depois das férias!!

O bom de ser autônoma é que podemos ter várias férias ao ano!